quinta-feira, janeiro 04, 2007

Cão, o fiel amigo.



O belíssimo cão da foto acima é o Baruk, o meu fiel amigo. Para quem não sabe é um Dogo Argentino , raça criada pelos manos Martinez, e é uma das 7 raças estigmatizadas com o rótulo de "potencialmente perigoso" apesar de não ter nenhum conhecimento de qualquer acidente/incidente entre Dogos e pessoas. E sim, é, frequentemente, confundido com Pitbull apesar de ser completamente diferente como qualquer observação minimamente atenta pode comprovar. Não estou, de forma alguma, a denegrir os Pits pois são cães lindíssimos que eu adoro mas sim a comentar a profunda ignorância canina que reina na nossa sociedade.

Escolhi este cão já sabendo que era um dos 7 magníficos e das consequências que daí vinham quer para mim quer para o cão. Mas foi a raça pela qual me apaixonei mal a conheci e sempre quis ter um cão grande por isso quando surgiu a oportunidade de ter um Dogo não hesitei. E, modéstia à parte, tenho um Dogo Argentino a roçar a perfeição morfológica da raça. Roam-se de inveja.

Tenho o cão à dois anos e meio e nesse periodo de tempo o Baruk nunca revelou qualquer sinal de agressividade para mim ou para a dona ou para quem quer que seja. Em casa nunca rosnou e nunca rosnou a outra pessoa na rua. A minha sobrinha de ano e meio vai a casa e ele tem que fugir dela pois ela não lhe larga, dá-lhe comida à boca, mexe-lhe na comida, puxa-lhe o rabo, ele retribui com algumas lambidelas; a filha de dois anos de um colega meu quando foi lá a casa a primeira coisa que fez foi meter.lhe a mão na boca e receber uma valente lambidela como resposta. Sim ele ladra ( e meus amigos vocês não sabem o que é ladrar enquanto não ouvirem um Dogo Argentino) quando estranhos aparecem em casa, pessoas a que ele não está habituado, mas é apenas ladrar, não rosna não demonstra agressividade. Com cães é diferente. Se não o incomodarem ele consegue ignorar mas basta um ladrar ou um olhar mais demorado na direcção dele e temos um sonoro acordar da vizinhança. A excepção é um golden retriever que ele não pode ver nem pintado pois foi mordido duas vezes por ele quando era pequeno e um cocker (!!!) que por alguma razão eles não se gostam, suponho que seja pelos primeiros encontros deles o cocker fazer uma chinfrineira brutal.

Esta lenga lenga vem a propósito de mais um ataque de um Pitbull, agora em Inglaterra, com consequências fatais para uma criança de 5 anos. Foi confortável ver ontem a reportagem na SIC que não explorou, como costume, o cão e deu tempo de antena a alguem para defender, decentemente, a raça e apontar o dedo aos donos. Aliás a reportagem até começou muito bem ao mostrar Pits à trela com os donos a atiçá-los a outros Pits. Um cão quando é habituado a maus tratos, à violência fisica, a passar fome, a atacar cães é natural que tenha uma personalidade agressiva e de dificil convivência para alguem que não o dono. É que esse é um dos grandes males do Pitbull, é exageradamente fiel ao dono e isso aliado a uma enorme força fisica e a uma grande capacidade de resistência à dor torna-o um alvo perfeito para quem quer ter cão para fins menos decentes. Não pensem que o Pit é o cão mais forte de todos, não é. Há cães que estralhaçavam um Pit em segundos se a isso fossem obrigados. O problema é que esses cães, para além de serem financeiramente menos atractivos que um Pit, são muito menos tolerantes às privações fisicas/emocionais/nutricionais que muitos dos donos dos Pits os obrigam para os terem aptos para as lutas e afins. Um Pit luta com prazer pois está a obedecer ao dono e isso para ele é tudo na vida. E meus amigos quando é o próprio dono de um Pit que confunde o meu Dogo com um Pit está tudo dito sobre muitos dos donos desta raça. Um exemplo hilariante foi em Portimão, estava eu e um amigo a passearmos os nossos Dogos quando um cota se aproxima todo valente elogiando os nossos exemplares e dizendo que tinha um igual "mas em castanho". O esforço que fizemos para não nos rirmos foi muito grande acreditem (para quem não percebeu ainda só há Dogos Argentinos brancos).

Podem não acreditar mas não são os Pits que mais casos têm de ataques a pessoas, são cães como os Caniches/Cockers que mais atacam. Não sou hipócrita ao ponto de comparar um potencial ataque de um Pit ao ataque de um Caniche mas também não tenho dúvidas do que um Caniche adulto pode fazer a uma criança de 5 anos. E ao contrário do caniche lá da minha rua o meu cão não ladra a todos que passam por perto.

O meu cão tem 47 kilos de pura força. Tenho perfeita consciência disso e dos estragos que ele pode fazer por isso é que procurei, desde cedo, educar-lhe a obdiência básica, de tratá-lo o melhor possivel, de mimá-lo (no fundo a razão para o ter) de modo a poder usufruir da magnifica companhia que ele dá a todos que privam com ele.

Se ele é perigoso? Não é. Se ele é potencialmente perigoso? A lei diz que sim mas não são todos os cães potencialmente perigosos????

8 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Vá lá...diz lá a verdade...o Baruk come criancinhas ao pequeno almoço...os carteiros nem se aproximam da tua casa...e todos os "pets" da vizinhança tem medo de sair a rua e acabar nas dentuças afiadas do Barukinho...hehe
Maga

9:31 da manhã, janeiro 09, 2007  
Blogger Sandra D. Cardoso said...

Existe tanta gente potencialmente perigosa, e andam ai na boa, uns até presidentes de paises são! Mas quem tem de ser rotulado são so animais, que querem é amor e descanço! A ignorancia é uma doença mortal...

5:15 da tarde, fevereiro 23, 2007  
Anonymous Pedro said...

Pois é! São perigosos e tal.... são perigosos o caraças! Perigosos são os donos!!!! Esses é que deviam estar açaimados e deviam ser castrados para ver se accalmavam!
Ah! E parabéns pelo cão que tens! É uma das raças que mais gosto!!!!

2:06 da tarde, junho 13, 2007  
Anonymous Anónimo said...

Infelizmente tomei outra opinião em relação ao Dogo Argentino, a família da minha namorada tem um. Conheço o cachorro desde que ele veio para casa dela com 4 meses. Sempre brinquei com ele no quintal sozinho, ele nunca apresentou nenhum tipo de agressividade, ao contrário, ele deitava e virava as patas para o alto. Até então tudo bem, o tempo foi passando, e o cão foi ficando velho, completou seus 2 anos. Um belo dia após chegar na casa da minha namorada, fui com ela pegar o colchão que fica em um quarto no quintal, e o que me aconteceu: simplesmente o cachorro que fica no quintal e separado da varanda por um portão de 1,40 m de altura saltou em minha direção rosnando e latindo. Por sorte desviei dele, caindo ao chão, estranhei logo depois pelo motivo dele poder me morder mas não fez, devo ao fato por estar acompanhado por minha namorada. De qualquer forma vi no cachorro uma agressividade que, pessoalmente, nunca vi em outro cachorro, embora já tenha tido vários cachorros de várias raças, inclusive Rottweilers e Doberman. Agora me explica o que aconateceu!!!??? Não tenho nada contra a raça, álias, gosto muito de cachorros e animais, mas acredito ser muita ingenuidade achar que um cão desse porte não seja perigoso. Te dou um conselho, isso vale para todas as raças com essas características, evite ao máximo deixa-lo sozinho com pessoas que não sejam da família.

12:18 da manhã, julho 31, 2008  
Anonymous Rodriangelo said...

cachorro sejá de qualquer rassa é para defender a familia . não é um bichimho vitual que qualquer pessoua chega brinca e vai embora não é um brinquedo .eu tive 3 pitbul almesmo tempo e não tenho reclamoção da rassa. minha filha de 3 anos fazia o que queria com eles . ate mesmo quando a cadela estava com cria. MAS com os etranhos eles estranhavan ai vale do dono ter dirsenimento prar conhesser seus cães.

7:35 da tarde, março 21, 2009  
Anonymous Anónimo said...

Tá certo cara! Eu tenho uma dogo(lara) linda, ela é super carinhosa com todos, inclusive com pessoas que ela nunca viu! mas lógico entrando em casa comigo. também tenho uma poodle essa sim é brava quer morder todo mundo(veja só a comparação "dogoargentino" "poodle"
quem é mais feroz.

1:53 da tarde, março 04, 2010  
Anonymous Anónimo said...

Desde que ajudei a nascer uma ninhada de cachorrinhos desta raça fiquei fã dela. Uma amiga minha tem um casal e quando a cadela pariu teve dificuldades no parto, tendo sido necessário "puxar" os cachorros e fazer massagens cardiacas para começarem a respirar. Confesso que tive receio que a cadela me atacasse dado ser uma estranha em casa, mas fiquei admirada com a "compreensão" da cadela e com o carinho com que recebia cada cachorrinho das minhas mãos.

3:41 da tarde, maio 20, 2010  
Anonymous Anónimo said...

Tenho uma pousada e possuo um dogo argentino, sou fã desta raça pois além de ser muito carinhoso precisa de frequente exercício físico para haver o equilíbrio.Não adianta ter um cão deste porte e deixar preso em um canil o dia inteiro. Meu cão tem contato com os hóspedes diariamente com a maior tranquilidade.

4:09 da manhã, maio 13, 2015  

Enviar um comentário

<< Home